Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Instituto André Luiz
 Portal Nosso Lar


 
Recanto Espírita - Blog do Instituto André Luiz


Quem odeia

Existe uma lei que rege o universo, que é a Lei de Causa e Efeito. Identificada por Newton quando dos estudos da física, onde é chamada de "ação e reação", ela parte do pressuposto que toda a ação que praticamos produz um resultado que invariavelmente retornará para nós.
Tal ensinamento pode ser retirado das lições de Cristo, dentre as quais podem ser usadas como exemplo aquela  em discorre acerca dos frutos de cada árvore como também a parábola dos talentos.
Tal lei, entretanto, tem uma abrangência muito maior do que as vezes nos ocorre. Ela não se aplica apenas ao recebermos de volta o fruto de nossas ações para com os outros. Ela abrange também as ações que temos para conosco e o pensamento que temos para com o nosso próximo.
A medicina moderna estuda atentamente o fenômeno da somatização de doenças, presenciada principalmente no câncer, o qual, na maioria dos casos, é apenas o reflexo no corpo físico das amarguras que trazemos em nossa alma ou em nosso coração, como preferirem. Além disso, quando desejamos o mal ao próximo, abaixamos nosso padrão vibratório e nos tornamos suscetíveis a influências negativas de nosso meio. O pensamento, por vezes, é mais forte do que as palavras, pois por ele alcançamos pessoas que não estão fisicamente próximas de nós, seja para o bem, seja para o mal. Contudo, esse mesmo mal que estaremos plantando com o nosso pensamento, colheremos ao estarmos baixando nosso padrão vibratório. 
A diferença entre a mosca e a abelha, é que a primeira é capaz de encontrar uma chaga em um corpo sadio enquanto a segunda consegue encontrar uma flor em um pântano. Tudo, em nossa vida, é uma questão de escolhas... e os desdobramentos positivos e negativos serão apenas fruto dessas escolhas que fazemos. 
 
Grande abraço,
Eduardo                              
 
QUEM ODEIA OS OUTROS ACABA PREJUDICANDO A SI PRÓPRIO.
 
"Quem amaldiçoa os outros provoca a própria ruína. Se enviarmos maus pensamentos aos outros, as más vibrações retornarão, causando-nos sérios danos. O oposto também é válido: se orarmos pela felicidade dos semelhantes, as vibrações mentais benéficas retornarão e seremos abençoados."
 
Do livro A Verdade da Vida,  Mensagem 305, vol. 7 - M.T.
___________________________________________
 
Instituto de Divulgação Espírita André Luiz
Ideal André Luiz
www.institutoandreluiz.org/
"Junte-se a nós neste ideal: divulgue o Espiritismo."



Escrito por Instituto André Luiz às 09h37
[] [envie esta mensagem] []



SENTIMENTO

Amigos.
Em nossas relações com o Senhor, com os nossos Semelhantes, com a Vida e com a Natureza, é importante lembrar que a nossa própria alma produz os modelos sutis que nos orientam as atividades de cada dia.
Tanto quanto a segurança de um edifício corresponde ao projeto a que se subordina, o êxito ou o fracasso em nossos menores empreendimentos correspondem à nossa atitude espiritual.
Sabemos em fotografia que o clichê é a imagem negativa obtida na câmara escura, do qual podemos extrair inumeráveis provas positivas. Assim também o pensamento é a matriz que compomos na intimidade do ser, com a qual é possível criar infinitas manifestações de nossa individualidade.
Mas a formação do clichê depende da película sensível que, em nosso caso, é o sentimento antecedendo-nos toda e qualquer elaboração de ordem mental.
É imprescindível, dessa forma, melhorar sempre e cada vez mais as nossas aquisições de fraternidade, entendimento e simpatia.
A estrela é conhecida pela luz que desprende de si mesma.
A presença da flor é denunciada pelo perfume que lhe é característico.
A criatura é identificada pelas irradiações que projeta.
Sorvemos idéias, assimilamos idéias e exteriorizamos idéias todos os dias.
É imperioso, assim, em nosso intercâmbio uns com os outros, observar os nossos estados sentimentais nas bases de nossas reflexões e raciocínios, como origens de nossa vitória ou de nossa derrota no campo de luta vulgar.
Ilustrando-nos a conceituação despretensiosa, evoque¬mos a natureza para simbolizar alguns de nossos sentimentos e clarear, tanto quanto possível, a lição que a experiência nos oferece.
O ódio é comparável à hiena, espalhando terror e morte.
A inveja é semelhante à serpente que rasteja, emitindo raios de venenoso magnetismo.
O ciúme parece um lobo famulento, estendendo aflição e desconfiança.
A agressividade assemelha-se ao ouriço, arremessando espinhos na direção daqueles que lhe respiram a presença.
O amor é comparável ao sol que aquece e ilumina.
A compreensão copia a fonte amiga.
A tolerância fraterna é qual árvore que serve e ajuda sempre.
A gentileza é irmã da música construtiva, desdobran¬do consolações e mitigando o infortúnio.
O sentimento elevado gera o pensamento elevado e o pensamento elevado garante a elevação da existência.
Sintamos bem, para bem refletir, assegurando o bem na estrada que fomos convidados a percorrer.
Em verdade, o pensamento é a causa da ação, mas o sentimento é o molde vibrátil em que o pensamento e a causa se formam.
Sentindo, modelamos a idéia.
Pensando, criamos o destino.
Atendamos à higiene mental, entretanto não nos esqueçamos de que a casa, por mais brilhante e por mais limpa, não viverá feliz sem alimento. E a bondade é o pão das almas.
Em razão disso, recomendou-nos o Divino Mestre, em sua lição imperecível: — «Amai-vos uns aos outros como eu vos amei.»

AULUS*
Instruções Psicofôncias - FCXavier

* Trata-se do benfeitor espiritual a que se refere André Luiz em seu livro “Nos Domínios da Mediunidade”.



Escrito por Instituto André Luiz às 10h00
[] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]